?

Log in

No account? Create an account
 
 
28 July 2010 @ 10:52 am
FANFIC- Bluff [Capítulos 1-3]  

Titulo: Bluff
Autor: inescunha
Personagens: House, Cameron, Wilson, Cuddy, Foreman, Chase, 13
Classificação
: K+
Capitulos: 32
Sinopse: House e a equipa tratam uma jovem patinadora, que após um colapso, na pista de gelo, parece ter perdido todas as suas memórias. Enquanto isso, House descobre um segredo de Wilson que o deixa inquieto e Cameron recebe uma proposta que pode mudar a sua vida para sempre.
Aviso: House m.d. e a personagens citadas pertencem a David Shore e a Fox


Escrevi "Bluff" quando tinha 15 anos, no intervalo entre a 3ª e a 4ª temporada de House. Durante anos após a sua publicação, a fanfic ficou esquecida num forum e pensei nunca mais a ver. Demorei algum tempo a encontra-la, tanto que cheguei a pensar que a tinha  perdido.
Para que isso não volte a acontecer e para que novas pessoas a possam ler decidi  posta-la no meu LJ.
A fanfic é constituida por 32 capítulos e, contrariamente, a maioria das fanfics segue a estrutura de um episódio de House ( caso da semana, história A, B e C).  
Como disse a fanfic foi escrita quando eu tinha 15 anos e contem um caso médico, por isso desculpem por eventuais falhas cientificas.
Algumas alterações foram feitas em relação à versão original, nomeadamente referências a personagens que eu ainda não conhecia quando a escrevi ( a 13 surge num dos capítulos finais, o que não acontecia na versão original).
A fanfic encontra-se integralmente em português ( de Portugal e não pt-BR ).
Espero que gostem tanto de a ler como eu gostei de a escrever. =)


Photobucket 



 

 







 BLUFF
 

“The whole world is run on bluff”
Marcus Garvey


 

Capítulo 1

NEW JERSEY, Pavilhão desportivo, 7:15 pm

Uma figura esguia e delicada percorreu rapidamente a pista de gelo. Parecia não andar sobre ela…ao invés, aparentava flutuar, voar, … Apenas um rasto suave se fazia notar no chão, uma linha ténue que se parecia desprender dos patins,…um fio delicado, mais fino do que um dos cabelo castanhos vivos que pendiam da cabeça da jovem.
O castanho que lhe emoldurava o rosto contrastava harmoniosamente com o reflexo esverdeado dos olhos cor de avelã. O corpo estava envolto num vestido cor-de-rosa claro curto e de manga comprida. Os collans eram de um rosa ainda mais claro que o vestido, não opacos, sarapintados de purpurina e reflexos invulgares. Os patins eram de um majestoso cor de pérola, mas quase não sobressaiam,… passavam um tanto despercebidos graças ao vestido e as delicadas meias que pareciam chamar todas as atenções só para si. Mas se o tentavam não conseguiam.
O que realmente chamava a atenção era o rosto da rapariga: havia nele um misto de inteligência e troça, concentração e desprezo.
“Só mais um pouco” pensou ela. Estava, na sua opinião, a atingir a perfeição. “Só mais um pouco e não tarda estarei em casa” pensou enquanto realizava um upright. A recepção havia sido perfeita…tinha sido, não tinha? Questionava-se, pois na verdade não estava com atenção.
- Lucy, repete! Tenta melhorar a recepção! – gritou o treinador.
O pavilhão estava vazio, apenas o olhar atento do seu mestre a observava. John Winner, o treinador, era um homem de estrutura forte, ombros largos, olhos azuis acinzentados, cabelo castanho curto, com ligeiros reflexos de cinzento. Andaria pelos trinta e muitos. Vestia um fato de treino azul escuro e calcava uma sapatilhas de uma das marcas mais populares.
- Outra vez Lucy!- gritou.
De súbito, uma voz feminina de timbre cansado fez-se sentir.
-Não achas que já estás a exagerar.
John virou-se de imediato. A mulher que falará possuía cabelo castanho, do mesmo tom de Lucy, talvez não tão vivo, curto e volumoso e olhos claros. A roupa era informal, mas de estilo clássico.
John- Boa tarde, Sarah!
Sarah- Tarde! Já viste que horas são? Há quanto tempo ela está a treinar?
John olhou discretamente para o relógio.
John – Três, quatro,…
Sarah- Quatro horas e meia! Ela está há quatro horas e meia a treinar!
John- Ela tem competição no fim-de-semana! Tens de compreender Sarah, se ela falhar está competição, pode esquecer os mundiais, pode esquecer os jogos olímpicos de Inverno,…
Sarah- Ela tem 14 anos! Por muito que o seu querido treinador queira, ela não vai aos Jogos Olímpicos, ela não vai ser campeã mundial, ela…
John- Quer que te forneça a lista de todas as atletas que já participaram nos jogos olímpicos com a idade dela ou menos? São muitas acredita, mais do que imaginas!
Sarah – Tudo bem! Ela pode ter competições no fim de semana, Jogos Olímpicos no Inverno, mas tem teste de matemática amanhã!
John- Como assim…amanhã? Ela não me tinha dito nada…Mas ela sempre foi uma excelente aluna, de certeza que já estudou e vai tirar boa nota…Ela sempre tirou boas notas…
Sarah- Ela tira boas notas porque estuda…porque tinha tempo para estudar! Se não estudar por muito que tu queiras não acontecem milagres!
John- Tu não percebes Sarah…
O discurso de John foi interrompido. Na pista de gelo, o corpo de Lucy cambaleava ligeiramente. A rapariga levou a mão à cabeça. Trocou os pés vezes sem contas e depois o seu corpo caiu redondo no gelo.
John saltou a barreira entre as bancadas e as pistas e dirigiu-se cautelosamente, para não cair, mas depressa para junto de Lucy.
John- Lucy! Lucy!
Bateu ligeiramente com a mão na face da rapariga.
Ouviu a perna da rapariga a roçar no gelo.
- Pronto, está a acordar.- pensou – A Sarah tem razão não devia tê-la obrigado a praticar tanto tempo…e ela não comeu nada…
Mas a rapariga não abria os olhos…
De súbito, o seu corpo contorceu-se. Os membros começaram-se a mover de forma estranha.
John olhou para Sarah. Os seus olhos estavam mais abertos do que o habitual e pareciam envoltos numa expressão de terror.
John- Está a ter uma convulsão! Rápido chama uma ambulância do hospital mais próximo!
Sarah não tinha com ela o telemóvel. Percorreu o corredor de saída das bancadas, até encontrar no fundo um telefone.
A sua voz soou fraca e nervosa.
- É do Princeton-Plainsboro Teaching Hospital? A minha filha está a ter um ataque! Eu preciso de uma ambulância! JÁ!

Capitulo 2

Princeton-Plainsboro Teaching Hospital, 10:15 am


A neve caía ao redor de Princeton-Plainsboro Teaching Hospital.
Gregory House acabara de chegar. Olhou em frente e depois revirou os olhos. Em frente ao elevador, Lisa Cuddy esperava-o.

Cuddy – Andava à tua procura!
House – Oh meu Deus! Não sabes como isso me deixa sossegado. Eu andava perdido! Ainda bem que alguém andava à minha procura…Acho que deixei a minha mãe no corredor da roupa, pode dar-me a mão e levar-me até ela Doutora Cuddy?
House fez beicinho e foi a vez de Cuddy revirar os olhos.
House – E depois há o caminho até ao meu escritório. Eu posso sempre perder-me dentro do elevador! Ele é tão grande! Ainda bem que existem pessoas como a doutora …
Cuddy- Tenho uma miúda para ti.
House não respondeu de imediato. Em vez disso semicerrou os olhos e depois respondeu:
House – Deixa ver se compreendo…Tens uma amiga encalhada e quer despacha-la para mim ou é uma nova amiga do eu-sou-encalhada-e-preciso-desesperadamente-de-um-marido-antes-do-40.com?
Cuddy- Ela tem 14.
House – Ok…isso pode trazer problemas, mas…
Cuddy – É a tua nova paciente!
House- Sim, isso já faz mais sentido.
Entraram os dois no elevador. Cuddy começou a ler o processo.
Cuddy- Patinadora adolescente teve uma convulsão enquanto…
House fez uma expressão de professor que queria fazer ver o óbvio à sua aluna.
House – Cuddy, (abrindo os olhos para dar mais impacto) são drogas!
Cuddy- Depreendes-te isso por que eu disso que ela era atleta?
House – Não, depreendi isso porque tu disseste que ela era adolescente!
Cuddy voltou a olhar para o processo.
Cuddy- Ela acordou amnésica…
House não responde de imediato.
House- Ok, aqui vai uma teoria disparatada: ela tem uma convulsão bate com a cabeça no muro da pista e acorda a dizer (fazendo uma voz fina e infantil) “ O meu Deus, onde estou? Quem sou eu? Para um de vou”. Vi um filme no fim-de-semana. Inspirador.
Cuddy- Ela não bateu com a cabeça. Caiu sobre um dos braços. Nas urgências já excluíram todas as possíveis causas de amnésia. Não há traumatismo nenhum e no entanto ela não se lembra de nada…
House- Nas urgências? Eu não confiava nesse tipos. Quem é ela?
Cuddy- Lucy…
House – Pois, eu quero mesmo saber o nome…O pai é um dos investidores do hospital?
Cuddy- Não.
House- Ex-namorado?
Cuddy- Não!
House- Se fosse uma paciente qualquer, tu entregavas o ficheiro a um dos meus subordinados…
Cuddy – Eu andei com a mãe dela no liceu! Quero eu dizer com a irmã dela…a Sarah era dois anos mais velha…
House – Ok, não precisas de justificar o facto de “ela-tem-a-minha-idade-e-já-tem-uma-filha-de-14-anos-e-eu-não”.
Cuddy- Ficas com o processo ou não? Tem de admitir, dois sintomas não relacionados podem ser interessantes.
House – Monster trucks, vicodin e o passado obscuro do Foreman! Isso são coisas interessantes, …
Cuddy- Se aceitares o caso fazes menos 3 horas de clínica esta semana!
House- Ok, parece tentador mas…
Cuddy- Se recusares fazes mais 6 horas de clínica!
House – Ei! Ei! Porque é que se eu não o fizer perco mais do que ganho se o fizer?
Cuddy – Porque sou eu que faço as regras.
Cuddy colocou o ficheiro nas mãos de House e foi-se embora.
House- Pois…Lá se vai a minha tarde a jogar PSP e a ver novelas…

Vida de médico é dura...
 

Capitulo 3

Cameron, Foreman e Chase estavam sentados na sala de diagnósticos, à espera de House. Não falavam. Não havia nada para fazer naquela manhã. Nenhum deles tinha clínica, ou papelada para tratar. Chase fazia as palavras cruzadas. Foreman batia ligeiramente com os dedos sobre o tampo da mesa, num gesto de alguma impaciência. Cameron olhava para o relógio discretamente. Por muito que os atrasos de House fossem quase diários, deixavam-na sempre apreensiva.
Chase- Apelido do cineasta canadense responsável pelo filme Titanic? 7 letras, começa por “C”.
Cameron- CAMERON, James Cameron.
Chase – Cameron começa por C! (fez uma cara de quem estava perfeitamente surpreendido consigo próprio, enquanto completava)
House entrou no seu escritório, mas em vez de ir para a sala onde se encontravam os Ducklings, continuou a andar. Chase levantou os olhos das palavras cruzadas. Foreman e Cameron também olharam.
House sentiu os olhos do Ducklings sobre si, recuou ligeiramente, não o tronco apenas a cabeça. Falou através da porta de ligação do escritório à sala.
House – Bom dia!
Depois dignou-se a entrar na sala e atirou o processo de Lucy para cima da mesa.
House- Vão lendo isso! Não se preocupem eu já venho!
O processo ainda girava sobre a mesa, já House havia saído de novo da sala.
Foreman foi o primeiro a pegar no processo.
Chase- Onde é que ele vai?
Cameron- Não sei…
Cameron virou-se ligeiramente na cadeira para ver onde House ia. Chase acompanhou-a. Foreman não estava particularmente interessado onde o chefe ia, mas também levantou o olhar do processo.
Lá fora, puderam observar os Ducklings, House transpunha o muro entre a sua varanda e a do Wilson. Cameron e Chase fizeram uma cara um tanto surpreendida. "O que é que ele está a fazer?". Foreman voltou a olhar para o processo.
House bateu à porta de Wilson.
House – Bom dia, Wilson!(fez uma pausa, esperou a resposta)Nem sabes o que eu descobri sobre a nova enfermeira de Oncologia… a tua protegida e o advogado da Cuddy… Não te vou contar se não abrires a porta.
House semicerrou os olhos e tentou ver através das persianas. O escritório estava vazio. Depois olhou para o relógio. Eram 10:23 e Wilson ainda não tinha chegado. Wilson não tinha clínica de manhã e que lhe tivesse dito nada que tratar. As persianas corridas não deixavam dúvidas. O responsável Dr. James Wilson ainda não estivera ali naquela manhã… Estranho...
House voltou a transpor o muro. Depois regressou ao seu escritório mas desta vez entrou na sala onde se encontravam os Ducklings.
Foreman olhava para os exames de Lucy.
Foreman – Não há nada de fisicamente errado que explique a amnésia (disse enquanto olhava para um raio-x).
House – Falou o neurologista! Que outras causas existem para a amnésia?
Foreman - Tóxicas. Alcoolismo, drogas,…
Chase – (olhando pela 1ª vez para o processo) Ela tem 14!
Foreman- Como eu disse alcoolismo, drogas,…
Chase- Ela é desportista!
Foreman- Pois. Já alguma vez ouviste expressão "doping"?
Cameron- Ela pertence a uma família de classe média alta. E além disso…
Chase olhou ligeiramente para Cameron.
Chase- Isso não quer dizer nada…
House- Viram o que ele fez(apontou para o Chase com os olhos muito abertos) acabou de argumentar contra a sua própria teoria…só porque a mãe dele…
Cameron- E além disso…( começou Cameron como se quisesse interromper propositadamente House, sabia que Chase não gostava de falar dos pais) …o exame toxicológico está limpo!
House- Muito bem, outras causas de amnésia?
Chase- Traumas físicos, derrames cerebrais,… insuficiência vascular…
Cameron- Infecções que atingem o tecido cerebral, como…
Foreman - …encefalite por herpes simples, ou podem ser drogas não detectadas no exame…Não há sinais de trauma nos exames, nem de qualquer outra coisa,…
House- Nem de drogas, logo podemos supor que…
Os Ducklings ficaram a olhar para ele. Chase preparava-se para dizer alguma coisa… mas House interrompeu-o.
House – Não te atrevas a dizer que ela é de outro mundo! Não há sinais de trauma no exames, nem de qualquer outra coisa, nem de drogas,( disse olhando para Foreman)… os outros médicos testaram todo, logo podemos supor que…(olhou para os Ducklings que permaneciam calados a olhar para ele)… alguém fez asneira!
Chase – Mas também há a convulsão, algumas amnésias tem causas epilépticas…
Foreman – Convulsões e amnésia…é estranho mas…
House – Estranho era o Chase com cabelo rapado. Estranho é que o oncologista responsável cá do lado ainda não tenha chegada as 10:30! (apontou na direcção do escritório do Wilson) Quem disse que houve uma convulsão?
Chase- John Wi…
House tirou o processo das mãos de Chase.
House- Tem alguma abreviatura do género “Dr.”antes do James…
Chase – John…
House- Não pois, não. O que te leva a crer que esse tal Joseph…
Cameron- John…
House-… isso… O que te leva a crer que ele saiba distinguir o que é uma convulsão?
Foreman – Então alguém meteu água quanto à amnésia, e a convulsão não foi uma convulsão? Se acha que o caso se resume a isso porque é que o aceitou?
House – Porque faço menos 3 horas de clínica esta semana…e se não tivesse aceitado fazia mais 6…eu não, possivelmente mandava um de vocês, mas a Cuddy era capaz de confirmar…
Foreman- Ok, o House ganha 3 horas sem clínica e o que é que nós ganhamos?
House fez uma expressão que poderia ser traduzida por “ não é obvio?”
House – 3 horas da minha agradável companhia…(parou para apreciar a expressão de Foreman, “pois é isso mesmo que me vai convencer” deveria estar ele a pensar) ou o meu mau humor nos próximos tempos caso a Cuddy me mande mais 6 horas para a clínica! Vocês sabem que eu adoro a clínica (disse com uma boa dose de ironia na voz) mas os downloads do meu computador não se fazem sozinhos! Agora tu ( apontando para o Foreman) refaz os exames que fizeram nas urgências.
Foreman assentiu com a cabeça e saiu, não numa expressão de obediência, mas numa expressão de resignação facilmente traduzida por " pronto, tem mesmo que ser…"
House – Tu (apontando para Chase) arranja um historial decente! Investiga se há antecedentes de convulsões ou epilepsia na família.
Chase saiu.
House- …e tu (apontando para a Cameron)
Fez uma pausa, depois olhou para o relógio.
House-...Já tomaste o pequeno-almoço?( disse fazendo uma cara propositadamente infantil e intrigada).
Cameron abriu a boca mas por momentos não disse nada.
Eram 10:30, é claro que ela havia tomado o pequeno-almoço em casa. Aquilo era um convite ou seria que dali só iria sair um comentário maldoso sobre o facto de ela ser magra?
Cameron - Não…
Este "Não" soou a "decididamente não!" Não fora muito credível e House notara isso divertido...
House- Óptimo! O Wilson ainda não chegou e eu preciso de alguém a quem cravar o pequeno-almoço… Não havia panquecas em casa. (disse num tom de desculpas infantil).
House saiu e Cameron segui-o alguns metros atrás. Sorriu. "Pronto, não tinha sido um agradável e romântico pedido para partilhar uma refeição…mas, enfim House é House!"


comments are ♥
 
 
 
 
Current Mood: nostalgicnostalgic
 
 
 
ally_cam: euphoria eye sex momentally_cam on July 28th, 2010 11:50 am (UTC)
Unfortunately I don't speak Portuguese, not even a tiny bit - but the pic is awesome! My three favorite characters in one pic is always good :D